Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.21/8979
Título: A influência da porosidade na durabilidade do betão auto-compactável (BAC)
Autor: Silva, Pedro
Brito, Jorge de
Palavras-chave: Betão auto-compactável
Durabilidade
Porosidade
Permeabilidade
Data: Jul-2010
Citação: SILVA, Pedro; BRITO, Jorge de – A influência da porosidade na durabilidade do betão auto-compactável (BAC). In bac2010 – 2º Congresso Ibérico sobre betão auto-compactável. Guimarães, Portugal, 2010. Pp. 1-10
Resumo: Pretende-se, neste artigo, apresentar um resumo sobre o estado actual do conhecimento relativo ao comportamento do BAC em termos de durabilidade, mais especificamente sobre o efeito da sua porosidade. Apesar das exigências dos BAC em termos de propriedades no estado endurecido serem as mesmas de um betão convencional (BC), as quantidades de amassadura utilizadas bem como as proporções nas quais os diversos componentes se combinam são diferentes. As diferenças referidas entre os BAC e os BC assentam na diminuição da relação entre as quantidades de agregado grosso e de argamassa com o consequente aumento do volume de pasta através da utilização de maiores volumes de material ultra fino (cimento + adições) e adjuvantes (tipo superplastificantes e/ou moduladores de viscosidade) e no adequado controlo da máxima dimensão de agregado. Apesar das razões, tanto de carácter técnico e económico, como até ecológicas (utilização dos recursos de modo a garantir um crescimento sustentável) para a utilização de maiores quantidades de adições, se estas forem demasiadamente elevadas, tal pode afectar substancialmente a durabilidade do BAC. Tal como acontece com um BC, para obter uma maior durabilidade, o BAC terá de dificultar a penetração dos agentes agressivos para o seu interior. A referida penetração ocorre por difusão ou absorção capilar devido à maior ou menor permeabilidade do BAC à água e aos gases. Desse modo, um conjunto de fluidos poderá penetrar no BAC e deteriorá-lo, tais como a água pura ou com iões agressivos, o CO2 e o oxigénio (como elemento regulador de todas as reacções de corrosão do aço embebido no betão). Com recurso à análise da estrutura dos poros de um betão, é possível prever a sua durabilidade uma vez que esta análise possibilita o conhecimento do modo como os agentes agressivos se difundem ou penetram na massa do betão.
URI: http://hdl.handle.net/10400.21/8979
DOI: 10.13140/RG.2.1.3640.9366
Aparece nas colecções:ISEL - Eng. Civil - Comunicações

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
A influência_PSilva_ADEC.pdf757,47 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.