Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.21/3377
Título: Da cenografia como laboratório de todas as artes: José Manuel Castanheira
Autor: Vasques, Eugénia
Palavras-chave: Cenografia portuguesa
José Manuel Castanheira
A noite e o momento
Todos os cómicos acabam com uma canção
Um jeep em segunda mão
À procura do presente
Frida, ou a casa azul
Quem tem medo de Virginia Woolf
San Juan
O cerco de Leninegrado
A voz humana
Fantasma da ópera
Platonov
O jardim das cerejas
Auto da Índia
Lua desconhecida
O avarento
Vassa Geleznova
Memorial do convento
La cruzada de los niños de la calle
El alcalde Zalamea
Rei Lear
As três irmãs
Tio Vânia
A prova
Data: 2002
Resumo: Depois das experiências iniciáticas da década de 70 (com início “visível” em 1973) e da sua confirmação, nos anos 80, como um dos mais persistentes criadores do post 25 de Abril, a arte cenográfica do arquitecto e designer José Manuel Castanheira (n. em Castelo Branco em 1952, o que é significativo, como se poderá inferir pela sua extrema fidelidade a raízes, lugares e pessoas) foi caracterizada por uma forte geometrização da cena, isto é, pela construção de espaços de modo a evidenciar a associação do volume geométrico com o cenário concebido como arquitectura, como instalação ou como suporte de pintura.
Descrição: Este é o primeiro texto crítico sobre a obra cenográfica de José Manuel Castanheira até 2001.
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.21/3377
Aparece nas colecções:ESTC - Artigos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
José MCastanheira.pdf110,11 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.