Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.21/624
Título: Compreensões de experiências em ciências por crianças de 3º e 6º de escolaridade
Outros títulos: um estudo de intervênçao
Autor: Serôdio, Ana Maria
Bryant, Peter
Bárrios, Amália
Data: Mar-2004
Editora: Escola Superior de Educação de Lisboa
Citação: Da Investigação às Práticas - Estudos de Natureza Educacional 2004 Vol V Nº1 67-91
Resumo: A identificação de experiências correctas e controladas para testar uma dada hipótese científica exige processos mentais complexos, sendo uma tarefa exigente para crianças. Foram formuladas as seguintes hipóteses: (1) as crianças compreendem o que é uma boa experiência para testar uma dada hipótese, e conseguem justificar correctamente as suas escolhas de forma clara e rigorosa; (2) as crianças têm um melhor desempenho quando as experiências correctas e incorrectas são apresentadas em dois grupos distintos (condição passiva), do que quando estão misturadas (condição activa); (3) o desempenho das crianças é influen¬ciado pelo seu conhecimento e/ou crenças acerca do fenómeno a ser expe¬rimentado; (4) o desempenho melhora com a idade; e (5) que o mecanismo do controle de variáveis é facilmente aprendido. Crianças do 3º e 6º anos de escolaridade (N = 36 de cada grupo etário) avaliaram experi¬ências em seis tarefas diferentes, sendo-lhes pedido para escolherem a experiência mais correcta e rigorosa para testar uma dada hipótese e para justificarem essa escolha. Os resultados mostraram que a maior parte dos participantes conseguiam distinguir uma experiência correcta em algumas das seis tarefas. O desempenho foi superior na condição passiva do que na activa. Em algumas tarefas, a natureza do fenómeno usado levou as crianças a manterem as suas ideias e crenças e responder incorrectamente. Também a relevância que as variáveis apresentavam para os participantes influenciou as suas escolhas de experiências correctas. Foram apenas encontradas pequenas diferenças entre os dois grupos etários. Quando o mecanismo de controle de variáveis lhes foi ensinado de forma directa e explicita, as crianças aprenderam e conseguiram transferir a sua aprendiza¬gem para outras situações científicas.
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.21/624
ISSN: 0874-9620
Versão do Editor: http://www.eselx.ipl.pt/cied/publicacoes/inv/2004/6_COMPREENS%C3%83O%20DE%20EXPERI%C3%8ANCIAS%20EM%20CI%C3%8ANCIA%20POR%20CRIAN%C3%87AS%20DE%203%C2%BA%20E%206%C2%BA%20ANOS%20DE%20ESCOLARIDADE%20UM%20ESTUDO%20DE%20INTERVEN%C3%87%C3%83O.pdf
Aparece nas colecções:ESELx - Artigos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Compreensões de experiências em ciências por crianças de 3º e 6º de escolaridade.pdf463,35 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.