Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.21/5019
Título: Consumo de benzodiazepinas por idosos institucionalizados: inapropriação, qualidade de sono e contributo para a segurança na medicação
Outros títulos: Benzodiazepines consumption by institutionalized elderly: inappropriate medication, sleep quality and contributes for medication safety
Autor: Graça, Anabela
Coelho, André
Palavras-chave: Farmacologia
Benzodiazepinas
Idoso
Idoso institucionalizado
Segurança do doente
Pharmacology
Benzodiazepines
Elderly
Institutionalized elderly
Patient safety
Data: Mai-2014
Editora: Escola Nacional de Saúde Pública
Citação: Graça A, Coelho A. Consumo de benzodiazepinas por idosos institucionalizados: inapropriação, qualidade de sono e contributo para a segurança na medicação. In Sousa P, Serranheira F, Sousa-Uva A, editors. Livro de Proceedings do 4º Congresso Internacional de Qualidade em Saúde e Segurança do Doente. Lisboa: Escola Nacional de Saúde Pública; 2014. p. 33-9.
Resumo: A racionalização do uso de medicamentos constitui-se como um fator contribuinte para a melhoria da segurança do doente, particularmente no que respeita à segurança na medicação, tendo-se tornado prioritária para as organizações e instituições de saúde. A avaliação do uso de medicamentos inapropriados no idoso constitui-se como uma medida que concorre para evitar, prevenir ou corrigir eventos adversos associados ao seu uso. As benzodiazepinas são uma das classes de medicamentos mais prescritas em idosos. No entanto, e apesar de sua utilidade clínica, algumas benzodiazepinas são consideradas inapropriadas nesta faixa etária por potenciarem o efeito sedativo e aumentar a incidência de quedas e fraturas. A longo prazo, na promoção da qualidade do sono, a sua efetividade é discutível já que a toma de uma benzodiazepina para a resolução de um problema como o sono, muitas vezes pontual, passa a ser um problema crónico de exigência de toma contínua, sem que a qualidade deste seja restabelecida, pondo em risco a segurança do doente. Este estudo tem como objetivo caracterizar o consumo de benzodiazepinas por idosos institucionalizados, numa instituição de longa permanência do concelho de Sesimbra, sua inapropriação e a relação com a qualidade de sono. Foi desenvolvido um estudo descritivo e transversal, assente no paradigma qualitativo, com a recolha de dados a decorrer em três momentos: registo de informação em grelha própria da caracterização sociodemográfica e da caracterização do consumo de benzodiazepinas; aplicação do índice de Katz para determinar a funcionalidade dos participantes; aplicação do questionário adaptado do Pittsburgh Sleep Quality Index para avaliação da qualidade do sono. A inapropriação foi avaliada pela aplicação dos critérios de Beers. Após aplicação dos critérios de inclusão (idade superior a 65 anos e capacidade funcional) aos 97 utentes da instituição, a amostra foi constituída por 51 utentes. Foi recolhido consentimento informado de todos os participantes. Os resultados obtidos mostram que 46% das benzodiazepinas consumidas são de duração intermédia de ação, observando-se ainda um valor considerável de consumo de benzodiazepinas de longa duração de ação (36%). Estes valores correspondem a um grau elevado de inapropriação, potenciando os riscos para a segurança do doente nesta faixa etária. O lorazepam 2,5mg é a benzodiazepina mais utilizada como hipnótico. Mas, apesar do consumo deste grupo de medicamentos 81,6% dos idosos que consumem benzodiazepinas não apresentam boa qualidade de sono (PSQI>5), enquanto 77% dos idosos que não consomem benzodiazepinas apresentam boa qualidade de sono (PSQI≤5). Nos idosos que consomem benzodiazepinas, a média de tempo despendido na cama até adormecer foi de cerca de 55 minutos, valor superior ao grupo que não consome benzodiazepinas, onde a média é de 27 minutos. Neste grupo de idosos, o consumo de benzodiazepinas não só é inapropriado como não contribuiu para uma melhoria na qualidade de sono nem para a segurança do doente, como são os consumidores de benzodiazepinas que apresentam uma pior qualidade de sono, nas suas várias dimensões.
ABSTRACT - The rational use of drugs is a major contributing factor to the improvement of patient safety, in particularly to drug safety, and has become a priority for health care organizations and institutions. The evaluation of the inappropriate use of drugs in the elderly is an initiative that contributes to avoid, prevent or correct adverse events associated with its use. Benzodiazepines are one of the most widely prescribed classes of drugs in the elderly. However, despite its clinical utility some benzodiazepines are deemed inappropriate for this age since they potentiate the sedative effect and increase the incidence of falls and fractures. In the long term, in the promotion of sleep quality, its effectiveness is debatable since taking a benzodiazepine for solving a problem, such as sleep, often ad hoc, becomes a chronic problem requiring continuous take, without the restoration of sleep quality, jeopardizing patient safety. This study aims to characterize the consumption of benzodiazepines in elderly institutionalized in a long-stay institution in the municipality of Sesimbra, its potentially inappropriate use and its relationship to sleep quality. This descriptive cross-sectional study, based on qualitative paradigm, with data collection taking place in three phases was developed: collection of sociodemographic information and characterization of benzodiazepine consumption; applying the Katz index to determine the functionality of the participants; application of a questionnaire adapted from the Pittsburgh Sleep Quality Index to assess quality of sleep. The inappropriate use was evaluated by Beers criteria. After applying the inclusion criteria (age over 65 and functional capacity) to 97 elderly, the sample consisted of 51 individuals. Informed consent of all participants was collected. The results show that 46% of the consumed benzodiazepines are of intermediate duration of action, with a remarkable consumption of long duration of action (36%) benzodiazepines. This corresponds to a high degree of inappropriate use, enhancing the risks to patient safety in this age group. 2.5mg lorazepam is the most commonly used benzodiazepine as a hypnotic. But despite the consumption of this drug group 81.6% of the elderly who consume benzodiazepines do not have good sleep quality (PSQI>5), while 77% of seniors who do not consume benzodiazepines have good sleep quality (PSQI≤5). In elderly who consume benzodiazepines, the average time spent in bed to sleep was about 55 minutes above the group that did not consume benzodiazepines, where the average value is 27 minutes. In the elderly group, the consumption of benzodiazepines is not only inappropriate as not contributed to an improvement in sleep quality and the safety of the patient, since the consumers of benzodiazepines has a poorer quality of sleep in its various dimensions.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.21/5019
ISBN: 978-989-20-4745-4
Versão do Editor: https://www.academia.edu/7180807/Proceedings_-_4th_International_Congress_on_Health_Quality_and_Patient_Safety
Aparece nas colecções:ESTeSL - Artigos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Consumo de benzodiazepinas por idosos institucionalizados.pdf2,72 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.