Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.21/4728
Título: As Guerras Mundiais e as mutações na teoria social da comunicação e dos media
Autor: Subtil, Filipa Mónica de Brito Gonçalves
Palavras-chave: Guerras Mundiais
Teoria social dos media
Propaganda
World wars
Social theory of media
Propaganda
Data: 1-Jun-2015
Editora: PPGCOM/PUCRS
Citação: SUBTIL, Filipa. As Guerras Mundiais e as mutações na teoria social da comunicação e dos media. Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia, v. 22 (3), pp. 15-40, jul./set. 2015. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/index
Resumo: Se a guerra é a continuação da política por outros meios, então certamente que nela a comunicação, em sentido lato, esteve sempre presente e desempenhou um papel chave. As guerras não implicam apenas a violência, mas também a persuasão, a contrainformação, o convencimento e o combate ideológico. Nas guerras modernas, os media têm sido um elemento fundamental para mobilizar nações moldadas por dinâmicas de desenraizamento e desterritorialização com vista a um esforço conjunto de apoio popular à ação bélica do Estado. Este artigo incide nas transformações que a própria teoria e investigação em comunicação e media sofreram no período entre as duas Guerras Mundiais do século XX. Trata-se de um contexto histórico decisivo para compreender como a institucionalização do campo da comunicação num país central como os EUA ocorreu em condições sociais e políticas que contribuíram para o seu perfil epistemológico, posições teóricas e para a configuração do poder no próprio sistema científico universitário, cujas repercussões continuam a fazer-se sentir de diversas e complexas formas.
If war is the continuation of politics by other means, there is no doubt that communication was always a key part of it. Wars involve not only violence, but also persuasion, counter-information, ideological conviction and confrontation. In modern wars, the media have played a fundamental part in mobilizing nations shaped by the dynamics of uprooting and de-territorialization into collective efforts designed to achieve popular support the State’s war actions. This paper discusses the change that theory and research in communication and media underwent in the period between the two world wars of the twentieth century. This is a historical context that is crucial for an understanding of how the institutionalization of the field of communication in a major country like the US took place in a social and political context which shaped its epistemology and theoretical positioning, and contributed to the way power was established in the system of research in the universities. Its repercussions are still being felt today in diverse and complex ways.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.21/4728
ISSN: 1980-3729
Versão do Editor: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/19571
Aparece nas colecções:ESCS - Artigos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
FAMECOS_22(3).pdf199,51 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.