Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.21/4275
Título: O impacto da formação contínua no desenvolvimento pessoal e profissional dos técnicos de Análises Clínicas e Saúde Pública
Outros títulos: The impact of continuing education the professional development of analysis and public health technicians
Autor: Faria, Isabel Maria Paes de
Orientador: Figueira, Eduardo
Palavras-chave: Formação contínua
Desenvolvimento profissional
Profissional de saúde
Técnico de Análises Clínicas
Continuing education
Professional development
Health professional
Analyses technician
Data de Defesa: Dez-2009
Editora: Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa
Citação: Faria IM. O impacto da formação contínua no desenvolvimento pessoal e profissional dos técnicos de Análises Clínicas e Saúde Pública [Dissertation]. Lisboa: Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa/Instituto Politécnico de Lisboa; Universidade de Évora; 2009.
Resumo: O presente estudo teve como objectivo identificar os factores associados à participação na formação contínua dos técnicos de análises clínicas e saúde pública. A formação escolar de nível superior destes profissionais é um fenómeno relativamente recente, sendo que, historicamente, constituem um grupo profissional que evoluiu de um perfil de técnico auxiliar com formação não escolar para um perfil de profissional autónomo com um modelo de formação único e actualmente integrado no ensino superior politécnico. A necessidade de sintonia com os progressos tecnológicos e científicos verificados nas últimas décadas terá sido determinante desta evolução e remete, quer os profissionais, quer as organizações académicas e de saúde para um investimento continuado na formação e actualização destes profissionais. O que influencia positiva ou negativamente a adesão dos técnicos de análises clínicas e saúde pública à formação contínua é uma problemática ainda não estudada em Portugal. Neste sentido, identificar e compreender o papel dos factores associados à participação dos técnicos de análises clínicas em acções de formação contínua poderá contribuir significativamente para desenhar estratégias conducentes à adesão dos não participantes bem como para a concepção de programas de formação, tanto mais que a temática em estudo se inscreve no actual paradigma da actualização profissional e, por outro lado, na necessidade de delinear um horizonte fomentador de eficácia e eficiência no campo da saúde, resultado da colmatação das necessidades de formação. O estudo foi enquadrado pelo modelo teórico de participação designado por ISSTAL (Interdisciplinary, Sequential-Specificity, Time-Allocation, Lifespan) e foi conduzido através de um inquérito por questionário administrado a uma amostra de técnicos de análises clínicas e saúde pública que trabalham em hospitais da área de Lisboa. Os dados foram submetidos à análise de regressão múltipla pós-factorial para identificar e analisar os factores associados à participação na formação contínua dos referidos técnicos. Os resultados sugerem que as principais razões associadas à participação em formação são a necessidade de actualização profissional e a possibilidade de conseguirem novas oportunidades profissionais. As razões da não participação relacionam-se com a incompatibilidade com o horário de trabalho, com a dificuldade em serem substituídos no trabalho e com o facto de não terem tempo disponível. Sugerem ainda que os técnicos de análises clínicas não têm uma cultura de formação contínua, vêem a formação como uma forma de alcançar um determinado estatuto socioprofissional e, uma vez satisfeitas as expectativas de progressão na carreira ou não se vislumbrando qualquer hipótese de progressão, deixam de ter uma atitude pró-activa em relação à sua formação profissional.
ABSTRACT - This study aimed to identify factors associated with participation in the training of analysis and public health technicians. The school education of these professionals at high level is a relatively recent phenomenon. Historically, the analysis and public health technicians are a professional group that has developed from a profile of the assistant technician with no academic training to a profile of an autonomous professional with a unique training model, presently integrated into higher education at polytechnic level. The need of keeping with the technological and scientific developments occurred in recent decades has been essential to provoke this professional development. Furthermore, both professionals and academic and health organizations related to clinical analysis and public health have been required to invest in continuing training to maintain those professionals updated. What positive or negatively influences the adhesion of the clinical analysis technicians to the continuing education is an issue not yet studied in Portugal. In this sense, identifying and understanding the role of factors associated with participation of technicians of clinical analysis in continuing education activities will contribute significantly to the design of strategies leading to facilitate adhesion of non-participants. In addition, that understanding will contribute to better design of the continuing training programs, especially as the theme study falls within the current paradigm of professional development and, secondly, the need to promote and implement strategies oriented to effectiveness and efficiency in the health field, resulting from addressing the training needs. The study was framed by the theoretical model of participation called ISSTAL (Interdisciplinary, Sequential-specificity, time-allocation, Lifespan) and was conducted through a questionnaire survey administered to a sample of analysis and public health technicians who work in hospitals of the Lisbon metropolitan area. The data were subjected to a post-factorial multiple regression analysis to identify and examine the factors associated with participation of those technicians in the continuing training activities. The results suggest that the main reasons related to participation in training are the need for refresher courses and the possibility of achieving new career opportunities. The reasons for not participating are related to the incompatibility with the work schedule, with the difficulty of being replaced at work and with the lack of time availability. Results also suggest that the technicians of clinical analysis do not have a culture of continuous training, and see training as a way of achieving a certain occupational status. In addition, once their expectations of career development are met or failing to reveal any chance of progression, those professionals no longer have a proactive attitude in relation to their training.
Descrição: Mestrado em Intervenção Sócio-Organizaional na Saúde - Ramo de especialização: Intervenção Comunitária
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.21/4275
Aparece nas colecções:ESTeSL - Dissertações de Mestrado



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.