Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.21/4145
Título: O feminino como "intruso" na política: uma análise do contexto histórico e da representação fotojornalística das deputadas portuguesas no "parlamento paritário" e nas discussões da lei da paridade
Autor: Cabrera, Ana
Flores, Teresa Mendes
Mata, Maria José
Palavras-chave: Paridade
Agenda Política Internacional
Questões de género
Fotojornalismo
Data: 2012
Editora: CIMJ/Mariposa Azual
Citação: Cabrera, Ana; Flores, Teresa Mendes; Mata, Maria José – “O feminino como "intruso" na política: uma análise do contexto histórico e da representação fotojornalística das deputadas portuguesas no "parlamento paritário" e nas discussões da lei da paridade". Revista Media e Jornalismo: política no feminino, vol. 11, nº 21, nº especial online (junho 2012), pp. 77-127.
Resumo: Na primeira parte deste artigo analisa-se, numa perspetiva histórica, os momentos chave da agenda internacional e nacional sobre o empoderamento das mulheres e os percursos da discussão política sobre quotas e paridade. Trata-se também de caracterizar a situação social das mulheres portuguesas durante a década de 90, bem como as posições ideológicas das diversas maiorias, permitindo compreender o contexto de emergência daquelas questões. Na segunda parte, centramo-nos na cobertura fotojornalística dos três debates parlamentares sobre o assunto da paridade - o “parlamento paritário” (1994) e a discussão e votação das leis das quotas (1991) e da paridade (2001). Discute-se o modo como cinco jornais generalistas portugueses usaram as imagens para investir alguns valores na construção de género, nomeadamente através de um estudo comparativo das diferenças e semelhanças de representação entre deputados e deputadas em cada um desses momentos. São apresentados e discutidos os dados quantitativos resultantes da aplicação de uma grelha de análise de imagem especificamente criada para o efeito e é feita uma análise qualitativa multimodal da cobertura fotojornalística efetuada pelo O Independente durante o Parlamento Paritário e pelo Diário de Notícias durante a Lei das Quotas. As conclusões apontam para a adequação do discurso jornalístico, quer visual quer textual, às tradicionais formas patriarcais de representação do feminino que o dissocia do poder e da liderança, configurando-o como “intruso” na política e não como parceiro de pleno direito. Este “conservadorismo” dos media não facilita a mudança dos valores sociais necessários ao desenvolvimento da participação política feminina.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.21/4145
ISSN: 1645-5681
Versão do Editor: http://www.youblisher.com/p/423936-POLITICA-NO-FEMININO/
Aparece nas colecções:ESCS - Artigos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
resumo_femininointrusopolitica.pdf342,43 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.