Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.21/4097
Título: Longe da vista, longe do coração: o design como “âncora” visual e elemento agregador da atividade museológica
Autor: Abreu, João Gomes de
Palavras-chave: Corporate design
Visual identity
Museum communication
Portuguese museums
Design corporativo
Identidade visual
Comunicação museológica
Museus portugueses
Data: Nov-2014
Editora: UBI
Citação: Abreu, João Gomes de - Longe da vista, longe do coração: o design como “âncora” visual e elemento agregador da atividade museológica. In DESIGNA 2014 - Conferência Internacional de Investigação em Design, Covilhã, Universidade da Beira Interior, 20 e 21 de nov de 2014
Resumo: To become an open to outer space, the "museum" acquired new forms and new expressions. The complexity of museological activity thus leads to new representations that alter the initial image of the museum as a building with objects. Their 'boundaries' are now less sharp, not only in relation to the spatial relationship, but also to its temporal dimension, creating an additional challenge which is the recognition of the museum itself. The design, while transdisciplinary activity, thereby assumes a key role in the communication of the museums in its visual representation and recognition of their action. The present study results from a survey conducted in 2010 to 364 Portuguese museums (from a universe of 849 museums), presenting an analysis to its base elements of visual expression of identity (name, logo, symbol, and color).
O “museu”, ao transformar-se num espaço aberto ao exterior, adquiriu novas formas e novas expressões. Da complexificação da atividade museológica resultam, assim, novas representações, que alteram a imagem inicial do museu como edifício contentor de objetos. As suas “fronteiras” são agora menos nítidas, não só no que se refere à relação espacial, mas também à sua dimensão temporal, criando um desafio adicional que é o do reconhecimento do próprio museu. O design, enquanto atividade transdisciplinar, assume deste modo um protagonismo determinante na comunicação dos museus, na sua representação visual e no reconhecimento da sua ação. O presente estudo resulta de um inquérito realizado em 2010 a 364 museus portugueses (de um universo de 849 museus), apresentando uma análise aos seus elementos base de expressão visual de identidade (nome, logótipo, símbolo, e cor).
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.21/4097
Versão do Editor: http://www.designa.ubi.pt/ficheiros/BA2014%20light_1.pdf
Aparece nas colecções:ESCS - Comunicações

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ID 224_DESIGNA 2014.pdf135,02 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.