Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.21/3935
Título: Mapeamento das regiões cerebrais associadas ao engano
Autor: Perez, Mafalda Geraldes Ferreira Amaro
Orientador: Ferreira, Hugo Alexandre
Palavras-chave: Ressonância magnética funcional
Detecção da mentira
Efeito BOLD
Activação cerebral
Functional magnetic resonance imaging
Lie perception
BOLD effect
Cerebral activity
Data de Defesa: 2014
Editora: Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa
Citação: Perez MG. Mapeamento das regiões cerebrais associadas ao engano [Dissertation]. Lisboa: Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa/Instituto Politécnico de Lisboa; 2014.
Resumo: Introdução - Estudos defendem o uso de Ressonância Magnética funcional (RMf) para detetar a mentira. Num estudo prévio, estimou-se que pelo menos 90% dos participantes terão sido denunciados pela Ressonância Magnética. Este estudo utiliza o paradigma de perguntas, baseado no design-misto, para analisar a atividade cerebral envolvidas em áreas relacionadas com a mentira / verdade relacionados com um roubo ficcional anel-relógio. De forma inovadora, é igualmente apresentado um método que através da visualização de imagens, pretende descobrir se a pessoa está a mentir ou não, em relação ao respetivo roubo. Métodos - A partir de uma seleção de participantes saudáveis, com idades compreendidas entre os 21 e os 36 anos e mediante consentimento informado, procedeu-se ao rastreio de eventuais obstáculos à realização do exame, através da aplicação de um inquérito para garantir a segurança e excluir contra-indicações na realização do estudo de Imagiologia por Ressonância Magnética. Os sujeitos foram convidados a escolher entre dois objetos - relógio ou anel - para roubar e colocar num armário disponibilizado para o efeito. Foram apresentadas uma série de questões com os objetos roubados, às quais os participantes responderam com a ajuda de uma caixa de botões de resposta. Foram igualmente apresentadas 10 imagens de objetos, onde estavam incluídos o anel e o relógio. Neste paradigma, os participantes apenas tinham de observar as imagens, de modo a averiguar as áreas cerebrais ativas correspondentes. O exame foi realizado numa Ressonância Magnética de 1,5 Tesla da marca Siemens. A análise dos resultados foi realizada com o auxílio do FSL (FMRIB Software Library) e através do uso da ferramenta FEAT. Resultados - No paradigma das imagens foi possível detetar a mentira em 67% dos participantes. No paradigma das perguntas o sucesso foi mais elevado, conseguindo-se descobrir em 87,5% dos participantes o objeto roubado. O lobo parietal foi a área que se reconheceu como ativa em todos os participantes, nos quais foi possível identificar o objeto roubado. Em 87,5% dos casos, os participantes foram igualmente denunciados pelo tempo que demoraram a responder às questões (tempos de reação). Conclusão - O paradigma das perguntas associado aos tempos de reação, é sem dúvida uma ferramenta fulcral para identificar quais as áreas cerebrais associadas ao engano.
ABSTRACT: Background - In last decade fMRI (Functional Magnetic Ressonance Imaging) had been used for lie perception and previous studies indicate a 90% successful rate after a mock crime using a mixed-design questions paradigm to perceive what was the object stolen through brain activity analysis. Our study prompts to reproduce this studies and also allying a mixed slide show consisting in images of objects to lie perception. Methods - The study was undertaken in nine healthy subjects, aged 21 to 36 after their consent and screening to evaluate their aptitude to participate in this study. The subjects were asked to commit a mock crime steeling only one object between two, a watch or a ring, and put this in specific locker. In fMRI was performed two experiments, first a slideshow with ten images of diverse objects including the watch and ring and second a mixed design questions paradigm. The data was collected in a 1.5 Tesla MRI from Siemens with a button box to recording subject’s responses in second experiment. The analyses was performed through a tool (FEAT) from FMRIB Software Library and also was analyzed the time reaction between the questions and the responses. Results - In first set of experiments was possible to detect successfully 67% of subjects that were lying and in the second 87.5% of subjects managing to find what object was stolen. The parietal area revealed more brain activity in overall of two experiments and the time reaction denounced 87.5% of second experiment subjects. Conclusion - The questions paradigm together with time reaction analyzes seems to play an important role to perception of brain activity areas associated with the action of lying.
Descrição: Mestrado em Radiações aplicadas às Tecnologias da Saúde - Ramo de Ressonância Magnética
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.21/3935
Aparece nas colecções:ESTeSL - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Mapeamento das regiões cerebrais associadas ao engano.pdf4,91 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.