Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.21/3773
Título: Boas práticas no rastreio visual infantil
Autor: Ferreira, João
Lança, Carla Costa
Oliveira, Manuel
Quintino, Wilson
Palavras-chave: Ortóptica
Rastreio visual
Criança
Boas práticas
Data: Mar-2014
Citação: Ferreira J, Lança CC, Oliveira M, Quintino W. Boas práticas no rastreio visual infantil. In XV Congresso Nacional de Ortoptistas, Hotel Tiara Park Atlantic (Porto), 27 a 29 de Março de 2014.
Resumo: A perda de visão, causada por ambliopia (0.3%‐4%) e seus fatores de risco como estrabismo (2.1%‐4.6%) e erros refrativos não corrigidos (5%‐7.7%), representa um importante problema de saúde pública. O rastreio visual pré‐escolar é, assim, essencial para a deteção de ambliopia e fatores ambliogénicos (refrativos e estrábicos). Os programas de rastreio visual variam na sua aplicação em muitos países em toda a Europa e não se avalia sistematicamente a eficácia dos mesmos. Por esse motivo, é necessária discussão e reflexão sobre a temática: 1. Quais os programas de rastreio mais apropriados para fornecer um correto e atempado tratamento? 2. Será que os programas de rastreio são adequados para reduzir as desigualdades em saúde e o custo para os sistemas de saúde? Objetivo do estudo - Identificar práticas de referência no âmbito do rastreio visual infantil.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.21/3773
Versão do Editor: http://www.apor-ortoptistas.com.pt/?p=inicio_evento&i=264
Aparece nas colecções:ESTeSL - Comunicações

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Boas práticas no rastreio visual infantil.pdf1,97 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.