Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.21/337
Título: Paramiloidose, transplante hepático e força muscular: qual a relação?
Autor: Tomás, Mª Teresa
Freire, A.
Morbey, A.
Veloso, J.
Monteiro, Estela
Barroso, Eduardo
Palavras-chave: Fisioterapia
Reabilitação
Paramiloidose
Transplante de órgãos
Fígado
Força muscular
Data: Mai-2003
Citação: Tomás MT, Freire A, Morbey A, Veloso J, Monteiro E, Barroso E. Paramiloidose, transplante hepático e força muscular: qual a relação? In VI Encontro Nacional de Paramiloidose para Técnicos de Saúde, Santarém, 23 e 24 de Maio de 2003. Comunicação oral.
Resumo: Paramiloidose - Doença hereditária autossómica dominante, de evolução crónica e progressiva, envolve predominantemente os membros inferiores, conduzindo à diminuição da força muscular e da sensibilidade e ao compromisso da marcha. Objectivos do estudo: 1. Avaliar os níveis de força máxima do quadricípete em sujeitos submetidos a transplante hepático (TH) por PAF, antes do TH, à data da alta, 3 meses após o TH, 6 meses após o TH, 1 ano após o TH; 2. Comprovar quantitativamente a eventual recuperação da força muscular; 3. Inferir os benefícios de actividade física/estilos de vida mais activos no pós-TH de doentes com PAF.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.21/337
Aparece nas colecções:ESTeSL - Comunicações

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Paramiloidose, transplante hepático e força muscular.pdf1 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.