Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.21/2929
Título: Avaliação da cultura de segurança do doente e propostas de melhoria
Autor: Pimenta, Lara Cristina
Orientador: Eiras, Margarida
Almeida, Mário Morais de
Palavras-chave: Gestão em saúde
Qualidade em saúde
Segurança do doente
Cultura organizacional
Meio hospitalar
Portugal
Hospital CUF Descobertas
Health management
Quality in health care
Patient safety
Organizational culture
Hospital
Data de Defesa: 2013
Editora: Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa
Citação: Pimenta LC. Avaliação da cultura de segurança do doente e propostas de melhoria [Dissertation]. Lisboa: Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa/Instituto Politécnico de Lisboa; Escola Superior de Saúde da Universidade do Algarve; 2013.
Resumo: A segurança do doente (SD) é um problema global que afeta países em todos os níveis de desenvolvimento. Embora seja difícil quantificar o problema, estima-se que, por ano, milhões de doentes em todo o mundo sofrem danos, lesões ou morte devido à prestação cuidados de saúde inseguros. A World Health Organization (WHO) publicou em 2009 o relatório Global Priorities for Patient Safety Research, em que estabelece quais as áreas mais deficitárias de investigação constando, entre outras, a deficiente implementação da cultura de segurança nos serviços de saúde e a existência de uma abordagem culpabilizante nos processos. A crescente complexidade dos sistemas de saúde, onde interagem fatores pessoais, profissionais, organizacionais, clínicos e tecnológicos potencialmente perigosos, ainda que eficazes, fazem da SD, um imperativo global. Esta apresenta-se como uma componente estruturante e uma variável incontornável da qualidade em saúde. Ter a segurança como principal aspeto da qualidade, combinando as suas técnicas, integrando-as numa só cultura, deve ser uma estratégia global das organizações de saúde. No relatório de um grupo de trabalho da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) para o Ministério da Saúde (MS), ”A governação dos hospitais: 30 anos de SNS”, o conceito de governação clinica aparece definido como um “sistema através do qual as organizações de cuidados de saúde promovem uma abordagem integrada de gestão dos inputs, das estruturas e dos processos com vista à obtenção de melhores resultados na prestação de cuidados de saúde, num ambiente de maior responsabilização pela qualidade clínica. Este conceito particulariza, para a saúde, a ideia mais global de qualidade que envolve a adequação de um serviço fornecido por um prestador às necessidades de quem o recebe e que, no caso da saúde, engloba dimensões como a segurança, eficiência, efetividade, equidade, acessibilidade, continuidade de cuidados e o respeito”. A caracterização deste conceito enquadra-se âmbito do Mestrado de Gestão e Avaliação de Tecnologias em Saúde, no qual se insere este projeto, indo de encontro aos objetivos do mesmo. Como descrito pela Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa, este mestrado pretende “desenvolver competências profissionais que promovam a otimização da gestão dos recursos de saúde através da aplicação das diferentes técnicas e procedimentos de gestão, avaliação, auditoria e análise das práticas baseadas na evidência científica para uma melhor resposta às necessidades de saúde das populações”. Este mestrado desenvolve o seu plano curricular em torno de duas áreas temáticas relevantes, sendo uma delas a Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS). A ATS é definida em termos da sua finalidade e não como um método específico. É uma avaliação abrangente e sistemática das condições prévias para a utilização de tecnologias de saúde e, das consequências do uso das mesmas. Num contexto de ATS, a tecnologia em saúde é amplamente definida como procedimentos e métodos de prevenção, diagnóstico, tratamento, cuidados e reabilitação, incluindo equipamentos e medicamentos. Os sistemas de apoio e organização do sistema de saúde podem também ser considerados como tecnologia em saúde. Assim, a ATS compreende análise e avaliação das diversas áreas onde o uso de tecnologias da saúde pode ter consequências e essas áreas podem ser agrupadas em quatro elementos principais, facilitadoras da visão geral: a tecnologia, o doente, a organização e a economia. Este projeto enquadra-se no âmbito do mestrado em questão, já que a cultura da segurança interfere diretamente, quer com o desempenho da organização, quer com a prestação de melhores cuidados de saúde ao doente. Uma das suas mais-valias é contribuir para a investigação na área da SD e para uma maior compreensão das questões nesta temática, para além da disseminação de conhecimentos baseados em evidências sólidas. A instituição escolhida para ser alvo da avaliação da cultura de segurança neste projeto, o Hospital CUF Descobertas, está integrada no Grupo José de Mello Saúde (JMS), que tem como missão “promover a prestação de serviços de saúde com os mais elevados níveis de conhecimento, respeitando o primado da vida e o ambiente, através do desenvolvimento do capital intelectual das organizações, numa busca permanente do melhor”. O grupo JMS assume a qualidade como elemento indissociável da prestação de cuidados de saúde de excelência. Por esse motivo, está empenhada no desenvolvimento de uma cultura e de práticas de qualidade robustas e transversais a todas as unidades do grupo, tendo para o efeito implementado um Sistema de Gestão de Qualidade (SGQ). Nesta política transversal, “a qualidade é entendida como a prestação de cuidados de uma forma efetiva e eficiente, indo ao encontro das necessidades e expectativas dos clientes, de acordo com o estado da arte a nível técnico-científico, e procurando a melhoria contínua de forma sistemática.” Como forma de consubstanciar a política de qualidade no dia-a-dia das unidades de saúde do grupo, foi implementado um SGQ, que permite que cada Unidade “identifique e minimize os fatores de risco associados, em particular em matéria de SD e dos colaboradores”, entre vários outros.
Descrição: Mestrado em Gestão e Avaliação de Tecnologias em Saúde
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.21/2929
Aparece nas colecções:ESTeSL - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Avaliação da cultura de segurança do doente e propostas de melhoria.pdf1,91 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.